• Clips vidéo
  • Clips vidéo

Mari Magalhães (45 anos) São Paulo

Conheci a "cantora" Dalida quando morei em Paris, entre meus 11 e 13 anos de idade... Me "apaixonei" por sua voz, seu repertório, sua maneira de cantar, seu carisma... voltei a morar na França, onde vivi até meus quase 18 anos...
Nessa época, estudava Teatro em Paris, assisti a alguns de seus shows e por essas voltas que a vida dá, nos conhecemos quando um amigo em comum me pediu para encenar com ele sua prova de admissão para a Comédie-Française. Eu não podia concorrer, pois a Comédie é "estatal" e não aceita estrangeiros. Dalida estava lá, para "dar uma força" pra ele, assistiu aos testes, fiquei encantada com sua simplicidade, sua solidariedade ao amigo, seu carinho e atenção para com todos. Ela elogiou meu trabalho e achei que era só "por educação". Meu amigo não foi classificado e eu passei... Quando descobriram que eu era brasileira, tiveram que me colocar como "estagiária" até eu completar 18 anos e poder me naturalizar francesa... Dalida pediu então a esse meu amigo que me levasse até ela, pois queria conversar comigo... Eu não conseguia acreditar, mas lá estava eu, aos 16/17 anos, conversando e recebendo conselhos valiosos sobre minha carreira, sobre a vida, daquela que era até então "apenas" um ídolo... Naquele dia, conheci a "Dali", um ser humano tão especial que não tinha noção da sua Grandez nem do que representava para o mundo... A partir daquele dia, passei a Amar Profundamente aquela pessoa Linda também no Coraçao e na Alma, aquela pessoa tão Iluminada e ao mesmo tempo, tão sofrida... Voltei para o Brasil, mantivemos contato e nos reencontramos pela última vez "nessa vida" quando ela esteve aqui, em 1983. Nunca perdemos contato até que em 1987 ela decidiu "ir embora"... "Dali" era Grande Demais pra suportar esse mundo tão pequeno... Ainda hoje, sofro com sua ausência e me emociono com suas canções e todas as "nossas" lembranças... Ao assistir o filme (emocionante!!!) sobre sua vida no Eurochannel, toda a saudade, a dor, o sofrimento que senti naquela época e que pensei já ter superado, voltou com a mesma intensidade... Estava apenas adormecido dentro de mim... Se pudesse, teria também deixado um bilhete para ela: "Perdoe-nos você, "DALI" querida, por não termos conseguido te ajudar a tornar a vida mais suportável..." Onde quer que você esteja brilhando hoje, sei que pode ouvir e sentir a Saudade e o Imenso Amor que Todos Nos, fãs, amigos, familiares, Sentimos Por Voce... Dali je t'aime de tout mon coeur!!! Eternellement, GINA (pour toi et seulement pour toi) Desculpem o desabafo... Mas tá doendo tanto... Beijos a todos,

Les cookies nous permettent plus facilement de vous proposer des services. En utilisant nos services, vous nous autorisez à utiliser des cookies.